Come on hippies!

O som de Janis Joplin, logo pela manhã, quando o sol da Califórnia brasileira ainda não está fervendo, despertou o espírito hippie por aqui. E onde estão os hippies, com aquela alegre descrença no capitalismo? Logo agora que mais precisamos deles. Agora que o mundo está de pernas  para o ar.

A arte sendo tratada como desnecessária, sem uso, sem lugar. As mulheres amontoadas e nuas na web, com números, sempre prontas, basta clicar e chamar. O amor que quer dominar e não mais se entregar. O “fast love”. É um eterno troca-troca de casais, rápido e quantitativo. O tempo todo uma obscenidade no ar. As famílias desagregadas. As crianças crescendo com babás. Os animais sendo maltratados.

Entre tudo isso, cadê o anseio de achar uma resposta à esse mundo caduco e careta? De nos tornarmos UM? Ou um sonho que fosse comum? E aqueles jovens dos anos 60 que usaram os meios de comunicação em massa para defender uma contracultura, inovando estilos, transformando consciências, valores e comportamentos? E os movimentos estudantis? Os festivais de música? A economia cada vez mais globalizada e as relações humanas mais desunificadas.

E que este não seja um manifesto socialista nem um lero-lero ideológico, unicamente uma vontade de juntar, de unir.

Limão cravo Estudio Criativo - Janis Joplin por nuez11
Ilustração de Janis Joplin feita por nuez11

 

Deixar uma resposta