A montanha vai à Maomé.

Quantas vezes você cansou de pedir alguma coisa e fez por conta própria? Isso nos lembra um ditado que diz “se quer bem feito, faça você mesmo”, ou do inglês “do it yourself”, conhecido também pela sigla DIY.Que é a prática de fazer, criar, consertar alguma coisa sozinho, sem ter que pagar por um serviço profissional e especializado.
A ideia já foi associada ao anarquismo e a outros movimentos anticonsumistas, e nos dias que se passam, soa sustentável, não?
E isso engloba tudo. Da moda ao design de interiores. E porque não estendê-la para a escala da cidade? Nos maiores centros urbanos como NY, Londres, Vancouver e Sidney surge grupos dispostos a fazer intervenções urbanas para melhorar a cidade. Um grupo, o TORONTO URBAN REPAIR SQUAD publicam em um blog o trabalho: urbanrepairs.blogspot.com.br. Aqui no Brasil, já surgiram iniciativas parecidas em Pelotas, Joinville e Curitiba (foto). 
Essas intervenções são diferentes das de Banksy por exemplo, que fazia uma arte de rua com graffiti, satírica e subversiva com humor negro. Já esses grupos controem bancos, pistas de skate, revitalizam praças, pintam faixas de pedestres, ciclofaixas e placas, espalhando arte pelo espaço público.
Descontentamento, é o que os move, com o descaso e a burocracia do poder público. Então, se é necessário e ninguém faz, não espere cair do céu, DO IT YOURSELF!

2 Comments Add yours

  1. Elio diz:

    É ISSO AMIGO NÃO VAMOS ESPERAR DO AMIGUINHO O QUE PODEMOS FAZER NOS MESMO !!!TRÁÁÁÁÁÁ NA CARADA SOCIEDADE =D

  2. anderson soares diz:

    lendo este post me lembrou daquele senhor que faz placas de rua em ribeirão preto por conta própria. E tem alguns ae ainda não gostaram. Dedico uma salva de palmas pra ele e pra este moco que escreveu neste magnífico blog.

Deixar uma resposta