Dia Internacional da Mulher: temos muito pela frente.

on

unnamedAmanhã é comemorado o dia internacional das mulheres. Na verdade, 8 de março é apenas uma data para enfatizar a importância das mulheres, mas na verdade todo o dia é o dia da mulher.

 É certo que nós conquistamos muito, saímos apenas dos trabalhos domésticos, invadimos o mercado de trabalho, estamos nas universidades em cursos antes prioritariamente masculinos, em alguns ainda com uma tímida relevância, mas estamos presentes. Queimamos sutiãs em busca de independência, lutamos por nossos direitos, e quer saber? Estamos no caminho, estamos lutando pelas nossas causas, pelo nosso espaço que em tantos momentos é menosprezado por uma parcela de pessoas.

Aos poucos, ao longo do tempo, alguns aspectos da desigualdade entre homens e mulheres estão sendo desconstruídos rumo a uma sociedade com mais igualdade de direitos entre os sexos, porém são singelos e há ainda muito a ser feito, muito a ser conquistado pelas mulheres, muito por ser lutado.

Esse é o objetivo da comemoração do 8 de março,  dia da mulher. Não é  apenas para ser mais um feriado comercial, como tantos outros. O Dia Internacional da Mulher surgiu como um protesto contra a opressão feminina em 1910 por Clara Zétkin e Rosa de Luxemburgo durante uma conferência na Dinamarca. Porém a data foi oficializada pela ONU, por meio de um decreto, em 1975.

Em muitos países existem conferências, debates e reuniões neste dia, enfatizando que a data não é apenas para comemorar, mas sim discutir sobre o papel da mulher na sociedade. O foco é para tentar diminuir e, talvez um dia, acabar com a desvalorização e preconceito contra a mulher. A data retrata a luta das mulheres por igualdade em todos os aspectos, social e politicamente, e também no mercado de trabalho.

Sim, avançamos muito, porém o caminho ainda é longo. Pesquisas ainda são um pouco assustadoras, mas acredito que devem servir como impulsionadoras para agirmos. Não é possível aceitarmos que o Brasil seja o 7º colocado no ranking de países com maiores homicídios femininos. A OMS levantou que 70% das vítimas de assassinato do sexo feminino foram mortas por seus parceiros. Por aqui a cada 15 segundos uma mulher é espancada e a cada duas horas uma mulher é assassinada. Isso sem contar que ainda recebemos salários inferiores aos homens, mesmo exercendo a mesma atividade e com mesmo grau de escolaridade. Sem contar a dupla jornada de trabalho que ainda enfrentamos: sim, porque além do cargo no mercado de trabalho, ainda temos a jornada dentro da casa, exercida e muitas vezes exigida.

Subimos vários degraus, isso não pode ser esquecido e nem desvalorizado. Em muitos países conquistamos o direito ao voto: no Brasil, no ano de 1932, conseguimos o direito de votar e sermos eleitas a cargos no executivo e legislativo. Temos a Lei Maria da Penha, um importante passo rumo à punição contra a violência feminina.

Podemos listar grandes mulheres como exemplos, que podemos nos inspirar e usarmos como motivação. Temos grandes mulheres que ocupam cargos importantes, com CEO’s, entre elas Maria das Graças Foster que ocupa este cargo na Petrobras. Vivlnne Westwood, não é apenas uma estilista famosa; é uma forte voz feminista no mundo atual. Já se comprometeu com causas importantes como aquecimento global e agora raspou a cabeça com um dos objetivos de mostrar o seu orgulho por sua idade, deixando de lado os cabelos tingidos para aderir aos cabelos naturais brancos.

Amanhã é o Dia Internacional da Mulher, e não apenas queremos ganhar rosas, chocolates e mimos, queremos destaque e atenção pela igualdade entre os sexos, queremos ser reconhecidas como fortes e capazes, queremos conquistas pela igualdade de direitos.

1608751_723410134345597_2125218663_nThauana Teoro: Formada em Relações Públicas, viciada em whatsapp, música boa e samba do bom. Apaixonada por marketing e comida japonesa. Roedora de unhas ansiosa, comunicativa, chegada em uma cervejinha e maníaca por dieta.

Deixar uma resposta